Rahou suspenso por dez jogos

Omar Rahou, da Bélgica, foi suspenso por dez jogos das provas da UEFA, de clubes ou selecções, por ter feito um gesto discriminatório num encontro do UEFA Futsal EURO 2014.

Omar Rahou foi suspenso por dez encontros em provas da UEFA
Omar Rahou foi suspenso por dez encontros em provas da UEFA ©UEFA.com

O Comité de Controlo e Disciplina da UEFA suspendeu o jogador de futsal da Real Federação Belga de Futebol (URBSFA/KBVB), Omar Rahou, para os próximos dez encontros de competições da UEFA envolvendo selecções nacionais e/ou provas de clubes da UEFA, por ter feito o gesto "quenelle" (acto de bater com a mão no braço, interpretado como um gesto anti-semita) durante o UEFA Futsal EURO 2014.

A situação ocorreu durante o encontro do Grupo A entre a Bélgica e a Roménia, disputado em Antuérpia, a 28 de Janeiro de 2014, que a Roménia ganhou 6-1. Durante a partida, Rahou, quando festejava o golo que apontou pelos anfitriões, fez o gesto conhecido por "quenelle" várias vezes.

Logo após o jogo, o Inspector Disciplinar da UEFA conduziu uma investigação sobre os factos em análise. A sua conclusão foi de que o gesto tem conotações discriminatórias e, em consequência, enquadra-se na penalização prevista no Artigo 14 do Regulamento Disciplinar da UEFA (Racismo, propaganda e outras condutas discriminatórias).

Na reunião desta terça-feira, o Comité de Controlo e Disciplina decidiu que o gesto violou o Artigo 14 do Regulamento Disciplinar da UEFA e aplicou uma pena de dez jogos de suspensão.

Esta decisão é susceptível de recurso.

A luta contra o racismo e outras condutas discriminatórias é uma das principais prioridades da UEFA. O organismo que tutela o futebol na Europa tem uma tolerância-zero para com situações de racismo e discriminação no recinto de jogo e nas bancadas. Todas as formas de comportamento racista são consideradas ofensas graves nos regulamentos disciplinares e punidas com sanções pesadas. Depois da entrada em vigor dos novos regulamentos disciplinares, a 1 de Junho de 2013, a luta contra as condutas racistas é agora uma das principais prioridades, pelo que as penalizações são ainda mais severas para qualquer comportamento deste género.