O futebol feminino nas federações nacionais

Como está o futebol feminino na Europa? Um relatório recentemente publicado fornece uma visão do desporto em cada uma das 55 federações-membro da UEFA.

Capa do relatório do futebol feminino na Europa em 2016/17
Capa do relatório do futebol feminino na Europa em 2016/17 ©UEFA.com

O relatório "O futebol feminino nas federações nacionais em 2016/17" (em inglês) mostra como o futebol feminino evoluiu nos últimos cinco anos, e fornece uma visão do desporto em cada uma das 55 federações-membro da UEFA em 2016.

O futebol feminino continua a aumentar de popularidade, havendo cada vez mais mulheres e raparigas a praticar a modalidade ou a envolverem-se nela. O aumento do número de jogadoras, treinadoras e árbitras registadas revela um progresso firme – e a UEFA está empenhada em fazer com que estes números cresçam ainda mais:

  • Jogadoras registadas: mais de 1,27 milhões, um aumento de 6% face a 2015/16
  • Jogadoras profissionais e semi-profissionais: aumento de 119% de 2012/13 para 2016/17, alcançando mais de 2850 jogadoras
  • Países com mais de 100.000 jogadoras: Inglaterra, França, Alemanha, Holanda, Noruega, Suécia
  • Treinadoras credenciadas: mais de 17.550, aumento de 31% face a 2015/16
  • Árbitras credenciadas: 10.200, aumento de 17% face a 2015/16
  • Equipas jovens femininas: mais de 34.000, aumento de 73% desde 2012/13
  • Acumulado de audiências das transmissões televisivas em directo da UEFA Women's Champions League em 2016: 3,52 milhões de pessoas
  • Receitas globais nos mercados participantes na UEFA Women's Champions League: cresceram mais de 92% de 2013 para 2016

Grandes eventos internacionais como o Mundial Feminino da FIFA de 2015 no Canadá e os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro contribuíram para promover o futebol feminino, e já estamos em contagem decrescente para o UEFA Women's EURO, a realizar no próximo Verão, na Holanda. As embaixadoras especialmente designadas estão a tornar-se modelos que inspiram novas gerações a participar. 

Os programas destinados a fomentar as "raízes" da modalidade, o número de treinadoras e a comunicação em torno do futebol feminino também têm produzido resultados positivos. Por exemplo, em 34 federações, o futebol feminino foi integrado nos currículos escolares e em 20 delas o futebol já é o principal desporto feminino colectivo.

A análise estatística do relatório apresenta dados recolhidos junto das federações nacionais em Setembro de 2016 através de um inquérito anual, bem como dados da carta de "raízes" do futebol da UEFA de Junho de 2016.