Alemanha

AlemanhaFederação Alemã de Futebol

We care about football

A força dos números

No que toca a jogadores e a títulos, a Federação Alemã de Futebol é uma das mais fortes organizações que integram a UEFA.
A força dos números
Philipp Lahm com o troféu do Campeonato do Mundo de 2014 ©AFP/Getty Images

A força dos números

No que toca a jogadores e a títulos, a Federação Alemã de Futebol é uma das mais fortes organizações que integram a UEFA.

Quando a Federação Alemã de Futebol (Deutscher Fussball-Bund ou DFB)  foi fundada, em 1900, em Leipzig, existiam apenas 86 clubes. Em 2010, esse número era de 26 mil e envolvia 6,7 milhões de praticantes. A DFB é a maior federação da União de Desportos Alemã e uma das maiores da UEFA.

Continuidade tem sido sempre uma característica particular da DFB. Nos primeiros 110 anos de existência, houve apenas dez presidentes e dez seleccionadores nacionais. O grande salto qualitativo em termos desportivos aconteceu em 1954, quando a jovem República Federal da Alemanha (RFA) se tornou campeã do mundo, sob a orientação do seleccionador Sepp Herberger. A RFA tornar-se-ia campeã mundial por mais três vezes: em 1974, na condição de equipa anfitriã e com Franz Beckenbauer como capitão e Helmut Schön como treinador, bateu a Holanda na final; em 1990, em Itália, os alemães derrotaram a Argentina no jogo decisivo, desta feita com Beckenbauer como treinador. Por último, a Alemanha venceu o Mundial de 2014, no Brasil, sob o comando de Joachim Löw, ao vencer a Argentina na final, por 1-0.

A Alemanha foi ainda vice-campeã em quatro edições do Campeonato do Mundo: em 1966, em Inglaterra, quando a equipa orientada por Schön perdeu face à equipa da casa; em 1982, em Espanha, frente à Itália (sob o comando de Jupp Derwall); em 1986, no México, frente à Argentina (com Beckenbauer como treinador) e na Coreia/Japão, em 2002, sob o comando de Rudi Völler. Além disso, a formação de Jürgen Klinsmann terminou o Mundial de 2006, realizado em casa, no terceiro posto, tal como a de Löw quatro anos mais tarde, na África do Sul. A estes títulos juntam-se mais três Campeonatos da Europa, conquistados em 1972 sob a batuta de Schön, em 1980 com Derwall no comando e em 1996 com Berti Vogts.

A lista de títulos conquistados pela selecção nacional feminina é igualmente rica, tendo vencido por oito vezes o Campeonato da Europa: em 1989, 1991, 1995, 1997, 2001, 2005, 2009 e 2013 - com Gero Bisanz no comando até 1996, Tina Theune-Meye a partir dessa altura e Silvia Neid desde 2005. Venceu ainda dois campeonatos do Mundo, em 2003 e 2007 - organizou com sucesso a prova em 2011 -, a que se somam três medalhas de bronze em Jogos Olímpicos, em 2000, 2004 e 2008.

O futebol jovem da DFB está também a coleccionar triunfos. No Verão de 2009, a Alemanha conquistou, no espaço de 35 dias, os três títulos da UEFA no sector. A Federação alemã foi premiada pelos títulos no Europeu Sub-21, Sub-19 e Sub-17 com o Troféu Maurice Burlaz, o galardão para o futebol jovem da UEFA. As selecções jovens femininas venceram o Mundial de Sub-20 em 2004, 2010 e 2014.

Em termos de clubes, o FC Bayern München é o que tem maior sucesso, com um impressionante pecúlio de 41 troféus nacionais conquistados (24 campeonatos e 17 taças). Por outro lado, a equipa bávara conquistou a Taça dos Clubes Campeões Europeus por três vezes, bem como duas vezes a UEFA Champions League. O Bayern venceu ainda a Taça dos Vencedores das Taças e a Taça UEFA, além do Mundial de Clubes da FIFA.

O futebol é, igualmente, um desporto para a juventude e os jovens têm como meta chegar à selecção nacional. O futebol profissional foi introduzido na Alemanha em 1963, na mesma altura da fundação da Bundesliga, a mais importante divisão a nível de clubes. Desde então, a Bundesliga tornou-se numa marca de topo. Em 2000, foi fundada uma Liga de Federações Alemãs (Deutsche Fussball-Liga ou DFL). Pela primeira vez em mais de 100 anos de existência da federação, o futebol profissional tem a sua própria estrutura organizacional independente, sob a alçada da DFB. Desta forma, a unidade do futebol germânico foi preservada, uma vez que as decisões relativas a qualquer assunto, quer em termos nacionais quer internacionais, são tomadas em conjunto. A ligação entre o futebol profissional e amador foi também garantida.

Um dos acontecimentos marcantes na história da DFB foi a fusão com a Federação Alemã de Futebol (DFV) da antiga República Democrática da Alemanha (RDA). Do ponto de vista da situação política, a DFV era um membro da UEFA totalmente independente, desde 1954. O ponto alto da sua história foi a medalha de ouro conquistada em 1976 durante os Jogos Olímpicos de Montreal, sob o comando do treinador Georg Buschner. Em 1990, a reunificação dos futebolistas ocidentais e de Leste teve lugar em Leipzig, onde a primeira federação foi fundada. O número de espectadores nos estádios e as audiências televisivas provam que a Alemanha reunificada - anfitriã do Mundial de 2006 - é um completo país do futebol.

http://pt.uefa.com/member-associations/association=ger/news/newsid=946712.html#a+forca+numeros

Passar ao topo  

Presidente

 

Reinhard Grindel

Reinhard Grindel

Nacionalidade: Alemã
Data de nascimento:
19 de Setembro de 1961
Presidente da federação desde: 2016

• Reinhard Grindel iniciou a carreira como dirigente no futebol em 2011, desempenhando as funções de primeiro vice-presidente da Associação de Futebol da Baixa Saxónia. Dois anos depois tornou-se tesoureiro da Federação Alemã de Futebol (DFB), onde também trabalhou como chefe do departamento contra a corrupção.

• Grindel trabalhou também durante muito tempo como jornalista e político. De 2002 até ao Verão de 2016 foi deputado do parlamento federal alemão, cuja equipa de futebol representou ocasionalmente. Na sua juventude, Grindel alinhou pelo SC Victoria Hamburg.

• "Fair play e integridade" são o lema de Grindel. Mostra-se empenhado em fortalecer ainda mais a ligação com as "raízes" do futebol: "Só podemos ter sucesso ao mais alto nível se as nossas bases estiverem sólidas," salienta.

Secretário-Geral

 

Friedrich Curtius

Friedrich Curtius

Nacionalidade: Alemã
Data de nascimento: 9 de Setembro de 1976
Secretário-geral da federação desde: 2016

• Friedrich Curtius estudou Direito em Heidelberg e ingressou na DFB em 2006. Iniciou o seu percurso como consultor para o gabinete do secretário-geral, antes de tornar-se chefe de gabinete do secretário-geral da DFB.

• De 2012 a 2016, foi chefe de gabinete do presidente da DFB. Após dez anos a adquirir experiência e conhecimento das estruturas federativas, assim como a lidar com assuntos relacionados com as ligações da Alemanha à FIFA e UEFA, foi nomeado secretário-geral.

• Após ter assumido funções, Curtius disse: "Estou muito feliz pela confiança que a administração depositou em mim e estou ansioso por desempenhar esta função tão honrosa. Temos uma equipa forte na nossa sede e abordaremos em conjunto grandes desafios como o projecto 'A DFB e a sua academia'".

Dados da Federação

  • Fundação: 1900
  • Afiliação à UEFA: 1954
  • Afiliação à FIFA: 1904
  • Morada: Otto-Fleck-Schneise 6 Postfach 710265 60492 FRANKFURT AM MAIN
  • Telefone: +49 69 678 80
  • Fax: +49 69 678 8266

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
1EspanhaEspanha7/794.141
2AlemanhaAlemanha6/773.355
3InglaterraInglaterra6/769.105
4ItáliaItália6/666.832
5FrançaFrança5/650.332
Última actualização: 07/12/2016 08:39 CET

Palmarés das Selecções Nacionais

  • © 1998-2016 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • A palavra UEFA, o logótipo da UEFA e todas as marcas relativas às competições da UEFA estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.