Grécia

GréciaFederação de Futebol da Grécia

We care about football

Optimismo abunda na Grécia

O triunfo da Grécia no UEFA EURO 2004 representa o ponto alto do longo envolvimento do país no futebol.
Optimismo abunda na Grécia
Theodoros Zagorakis ergue o troféu Henri Delaunay após a Grécia ter derrotado Portugal no UEFA EURO 2004 ©Getty Images

Optimismo abunda na Grécia

O triunfo da Grécia no UEFA EURO 2004 representa o ponto alto do longo envolvimento do país no futebol.

Apesar de a Federação Helénica de Futebol (EPO) ter sido fundada em 1926, o futebol já era extremamente popular na Grécia desde a última década do século XIX, com o Panionios GSS, de Atenas, a ser fundado em 1890. A EPO só conseguiu estabelecer-se quase 40 anos mais tarde, tendo a principal razão sido o facto de os clubes estarem a começar a expandir as suas actividades e pretenderem jogar uns com os outros a nível nacional.

A nova organização assumiu um papel catalisador no desenvolvimento do futebol grego. A EPO precisou apenas de um ano para se tornar membro da FIFA e, na mesma altura, o campeonato da primeira divisão tornou-se numa realidade. No entanto, como em toda a Europa, as competições nacionais pararam devido à II Guerra Mundial. Terminado o conflito, o futebol voltou a ser uma das prioridades das populações, e precisou apenas de um curto período de tempo para voltar a ocupar o seu lugar de destaque.

A EPO foi um dos membros fundadores da UEFA, em 1954. Ao respeitar o organismo que rege o futebol na Europa e os seus regulamentos, a EPO teve sempre em conta o crescimento do desporto, não apenas na Grécia, mas em todo o continente. À entrada da segunda década do séx. XXI, a EPO tinha mais de 5773 equipas sob a sua égide. Com grande parte delas a funcionar em regime amador, 3700 desses clubes estavam activos em campeonatos oficiais a todos os níveis e faixas etárias. Nos últimos anos, particularmente, tem-se assistido a um progresso rápido, e muitos dos estádios do país têm sido melhorados para se adequarem às especificações da UEFA.

O campeonato profissional compreende três divisões: Super League, Divisão B e Divisão C. A Divisão D, de cariz amador, também se disputa em todo o país; no entanto, as equipas são obrigadas a apresentar em campo pelo menos quatro jogadores com menos de 20 anos, para bem do desenvolvimento dos mais jovens. Na Divisão C deve haver pelo menos dois jogadores Sub-21. A Taça, na qual participam apenas equipas profissionais, começa com um único jogo nas primeiras quatro eliminatórias. Em caso de empate, recorre-se a prolongamento e, se necessário, ao desempate através de grandes penalidades. Nos oitavos-de-final, a repetição de jogos é utilizada para decidir o vencedor sempre que necessário. Os quartos-de-final e as meias-finais são disputados a duas mãos, em casa e fora.

Nos últimos anos, os clubes helénicos, com Olympiacos FC e Panathinaikos FC à cabeça, têm sido presença regular na UEFA Champions League e na Taça UEFA/UEFA Europa League. O Panathinaikos participou na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1971, perdendo frente ao AFC Ajax. Noutras duas ocasiões, chegou até às meias-finais (1984/85 e 1995/96). Olympiacos, AEK Athens FC, Panionios e Larissa FC também se têm exibido com distinção nas  competições europeias.

No entanto, é a conquista do UEFA EURO 2004, em Portugal, que representa o ponto alto dos feitos futebolísticos do país, sendo também enorme motivo de orgulho nacional. Os jogadores de Otto Rehhagel venceram os anfitriões portugueses graças a um golo solitário de Angelos Charisteas, na final realizada em Lisboa. Incluindo o Mundial de 2010 e o UEFA EURO 2012, prova na qual os comandados de Fernando Santos chegaram aos quartos-de-final, a equipa sénior participou na fase final de seis torneios: dois Campeonatos do Mundo e quatro da Europa, incluindo os últimos três.

A equipa de Sub-21 foi finalista vencida de dois Campeonatos da Europa da categoria, em 1988 e 1998, e sempre foi uma das equipas mais respeitadas do continente. A selecção Sub-19 seguiu o seu exemplo alcançando a final da prova em 2007, onde foi derrotada pela Espanha. O futebol feminino e o futsal também progrediram bastante, pelo que o desenvolvimento das equipas gregas leva a que o futuro seja encarado com optimismo.

http://pt.uefa.com/member-associations/association=gre/news/newsid=946239.html#optimismo+abunda+grecia

Passar ao topo  

Presidente

 

Giorgos Girtzikis

Giorgos Girtzikis

Nacionalidade: Grega
Data de nascimento: 18 de Fevereiro de 1947
Presidente da federação desde: 2015

• Nascido em Xanthi, no Norte da Grécia, Giorgos Girtzikis trabalhou durante 40 anos numa empresa da indústria de lacticínios como director-executivo sénior; agora é consultor da mesma empresa. Desde cedo mostrou grande interesse pela política, tendo sido eleito vereador da Câmara Municipal de Vistonida, e depois para o município de Xanthi.

• Jogou futebol amador como extremo do Thraki Sydini FC e desempenhou um papel importante na criação da associação de futebol local de Xanthi. Tornou-se vice-presidente da associação em 1980 e manteve-se no cargo até 1997, altura em que foi eleito para a Direcção da Federação Grega de Futebol (EPO). De 1997 a 2000 foi secretário-geral adjunto da EPO, depois tesoureiro adjunto de 2000 a 2003, e tesoureiro principal da federação de 2003 a 2012. Foi também presidente do SKODA Xanthi FC durante quatro anos (2000-2004), e foi nomeado presidente do comité central de arbitragem da federação em Outubro de 2014. A 23 de Janeiro de 2015 foi eleito novo presidente da EPO.

• Giorgos Girtzikis acredita que "o futebol é o rei do desporto e precisa do apoio de todos os que trabalham nele. Temos todos de o proteger, ser vigilantes e ter bom-senso nas nossas avaliações."

Secretário-Geral

 

Pafsanias Papanikolaou

Pafsanias Papanikolaou

Nacionalidade: Grego
Data de nascimento: 22 de Março de 1967
Secretário-executivo da federação desde: 2011

• Pafsanias Papanikolaou estudou administração pública na Universidade Pantios, em Atenas, e logística em Salónica, tendo trabalhado como consultor financeiro no sector privado.

• Ingressou em 1998 na Federação Grega de Futebol (EPO) e tornou-se Secretário-executivo em Março de 2011.

• Durante a sua carreira na EPO, supervisionou a gestão e implementação de projectos da UEFA e da FIFA na Grécia, bem como a gestão de programas de desenvolvimento desportivo da União Europeia no país.

Dados da Federação

  • Fundação: 1926
  • Afiliação à UEFA: 1954
  • Afiliação à FIFA: 1927
  • Morada: Goudi Park P.O. Box 14161 11510 ATHENS
  • Telefone: +30 21 0930 6000
  • Fax: +30 21 0935 9666

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
12SuíçaSuíça3/531.675
13HolandaHolanda4/527.863
14GréciaGrécia3/526.500
15CroáciaCroácia1/425.250
16ÁustriaÁustria3/424.600
Última actualização: 07/12/2016 08:39 CET

Palmarés das Selecções Nacionais

Competições domésticas