Itália

ItáliaFederação Italiana de Futebol

We care about football

Itália continua a brilhar

Jogadores, clubes e treinadores de Itália têm estado na vanguarda do futebol europeu ao longo dos anos.
Itália continua a brilhar
Giacinto Facchetti com o troféu do Campeonato da Europa, após o sucesso da Itália na final de 1968 ©Getty Images

Itália continua a brilhar

Jogadores, clubes e treinadores de Itália têm estado na vanguarda do futebol europeu ao longo dos anos.

A Federação Italiana de Futebol (Federazione Italiana Giuoco Calcio - FIGC) foi fundada a 16 de Março de 1898, em Turim. O seu primeiro evento oficial foi um torneio onde participaram quatro equipas do Norte do país, com a duração de um dia, em 1898. O Genoa 1893 sagrou-se vencedor. No entanto, o primeiro campeonato nacional só surgiu 15 anos depois, com o Pro Vercelli a arrecadar o título.

O futebol italiano desenvolveu-se a nível interno e externo durante a década seguinte. Na época 1929/30, o campeonato italiano decorreu, pela primeira vez, no formato de Liga, com um único escalão, em vez de as equipas estarem divididas por grupos e "play-off" para decidir o vencedor. Este passo positivo, juntamente com o pagamento das despesas dos jogadores, marcou o início da era profissional. A Taça de Itália, disputada pela primeira vez em 1922, só foi retomada entre 1935 e 1943, antes de ser recuperada definitivamente em 1958. A Juventus continua a ser o clube mais titulado nestas competições, com 30 títulos da Serie A e nove Taças de Itália conquistadas.

A selecção de Itália fez a sua estreia no dia 15 de Maio de 1910, no Arena di Milano, vencendo a França por 6-2. Apesar de a I Guerra Mundial ter levado à interrupção das actividades futebolísticas, o período do pós-guerra, que coincidiu com o mandato bem-sucedido de Giorgio Vaccaro na presidência da FIGC, testemunhou o melhor momento da selecção de Itália. Os "azzurri" foram duas vezes campeões do Mundo – em 1934 e 1938 – orientados pelo treinador Vittorio Pozzo. Jogadores como Giuseppe Meazza e Eraldo Monzeglio brilharam em 1934, e Amedeo Biavati, Alfredo Foni e Silvio Piola em 1938. Também conquistaram a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1936.

No entanto, foi só com Artemio Franchi na presidência da FIGC, na segunda metade da década de 1960, que os "azzurri" voltaram às vitórias. Em 1968, a Itália venceu o Campeonato da Europa, numa selecção onde pontificavam Gianni Rivera, Sandro Mazzola, Gigi Riva, Dino Zoff e Giacinto Facchetti, tendo sido finalista vencida do Campeonato do Mundo de 1970, no México. Depois, Franchi foi eleito presidente da UEFA.

Em 1982, a Itália sagrou-se tricampeã mundial graças a uma geração talentosa de jogadores, da qual faziam parte Paolo Rossi, Zoff, Claudio Gentile, Antonio Cabrini, Bruno Conti, Gaetano Scirea e Marco Tardelli. Oito anos depois, na qualidade de anfitriã, os "azzurri" foram eliminados pela Argentina nas meias-finais, no desempate através de grandes penalidades. Os penalties voltaram a ser a desgraça da Itália na final do Mundial 1994, nos Estados Unidos, quando Roberto Baggio e Franco Baresi falharam os respectivos remates e deram a vitória ao Brasil, e frente à anfitriã França nos quartos-de-final, quatro anos depois.

O "golo de ouro" da França, na final do UEFA EURO 2000, foi outro final de prova cruel. Ainda assim, depois de eliminações precoces no Mundial de 2002 e UEFA EURO 2004, a nação festejou o quarto título mundial na Alemanha, numa equipa dirigida por Marcello Lippi. O talentoso foi suportado por elementos-chave como Gianluigi Buffon, Fabio Cannavaro, Francesco Totti, Alessandro Del Piero e Andrea Pirlo, e Buffon e Pirlo revelaram-se mesmo cruciais seis anos mais tarde, quando a Itália atingiu a final do UEFA EURO 2012 sob as ordens de Cesare Prandelli.

Nos escalões jovens, as selecções italianas venceram o Campeonato da Europa de Sub-21 em 1992, 1994, 1996, 2000 e 2004; os Sub-19 foram campeões europeus em 2003; os Sub-16 (agora Sub-17) triunfaram em 1982 e 1987; e o Torneio Internacional Jovem da UEFA, em 1958, também faz parte do palmarés. Entretanto, a nível de clubes, os emblemas transalpinos somam 44 troféus nas competições europeias. O AC Milan lidera, com 17, seguindo-se Juventus (11), FC Internazionale Milano (oito), Parma FC (quatro), SS Lazio (dois), e SSC Napoli e ACF Fiorentina (um).

A Itália tem estado frequentemente na vanguarda do futebol europeu graças aos seus jogadores, clubes e treinadores – Pozzo, Fulvio Bernardini, Ferruccio Valcareggi, Enzo Bearzot, Vicini, Arrigo Sacchi, Cesare Maldini, Zoff, Giovanni Trapattoni, Roberto Donadoni, Lippi e Antonio Conte, entre outros, cuja influência no desenvolvimento da modalidade foi profunda.

http://pt.uefa.com/member-associations/association=ita/news/newsid=946265.html#italia+continua+brilhar

Passar ao topo  

Presidente

 

Carlo Tavecchio

Carlo Tavecchio

Nacionalidade: Italiano
Data de nascimento: 13 de Julho de 1943
Presidente da federação desde: 2014

• Depois de ter estudado para ser contabilista, Carlo Tavecchio começou a trabalhar no sector bancário antes de se tornar presidente da autarquia Ponte Lambro, pequena cidade do norte de Itália, junto a Como, quando tinha apenas 33 anos de idade, em 1976. Manteve o cargo durante quatro mandatos consecutivos, até 1995.

• Entrou para os quadros da Federação Italiana de Futebol (FIGC) em 1987, como conselheiro regional da Lega Nazionali Dilettanti (LND) - a Liga Nacional Amadora - e tornou-se presidente desse mesmo órgão em 1999. Em 2007, Tavecchio tornou-se vice-presidente da FIGC e membro do Comité de Futebol Jovem e Amador da UEFA.

• Tavecchio foi escolhido para presidente durante uma assembleia electiva da FIGC a 11 de Agosto de 2014 e identificou “os escalões jovens de formação” como principal foco de atenção do seu mandato.

Secretário-Geral

 

Michele Uva

Michele Uva

Nacionalidade: Italiana
Data de nascimento: 8 de Novembro de 1964
Director-executivo da federação desde: 2014

• Professor assistente na Universidade Foro Italico, em Roma, membro do comité estratégico da Fundação 4 da Universidade de Roma e actual conferencista em vários cursos organizados por diversas universidades italianas, Michele Uva tem dedicado toda a sua carreira ao desporto profissional em vários contextos, disciplinas e ambientes.

• Uva desempenhou várias funções em organizações desportivas como a Federação Italiana de Futebol (FIGC), o Comité Olímpico Italiano (CONI), no futebol profissional, e em clubes de basquetebol e de voleibol, bem como foi consultor especializado, entre outros, na definição de projectos financeiros dedicados ao desporto. Foi nomeado pelo ministro das Finanças italiano como director-executivo do CONI, cargo que exerceu de Maio de 2013 a Setembro de 2014.

• Uva foi chefe do gabinete de desenvolvimento da FIGC, de 2009 a 2013. Responsável pela "start-up" do departamento de desenvolvimento em 2010, tornou-se director-executivo em 2014.

Dados da Federação

  • Fundação: 1898
  • Afiliação à UEFA: 1954
  • Afiliação à FIFA: 1905
  • Morada: Via Gregorio Allegri 14 CP 2450 00198 ROMA
  • Telefone: +39 06 84 912553
  • Fax: +39 06 25496455

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
2AlemanhaAlemanha6/773.355
3InglaterraInglaterra6/769.105
4ItáliaItália6/666.832
5FrançaFrança5/650.332
6RússiaRússia4/548.532
Última actualização: 07/12/2016 08:39 CET

Palmarés das Selecções Nacionais

Competições domésticas