República da Moldávia

República da MoldáviaFederação de Futebol da Moldávia

We care about football

A crescer desde a independência

A Federação Moldava de Futebol está a procurar desenvolver a modalidade a partir dos seus jovens jogadores.
A crescer desde a independência
A República da Moldávia festeja um golo de Igor Bugaev ©Domenic Aquilina

A crescer desde a independência

A Federação Moldava de Futebol está a procurar desenvolver a modalidade a partir dos seus jovens jogadores.

A Federação Moldava de Futebol (FMF) foi fundada em 1990, mas a história do futebol na República da Moldávia surgiu muito tempo antes. Com efeito, anteriormente àquela data e como uma das 15 antigas repúblicas da União Soviética, a República da Moldávia pertenceu a uma federação de futebol, mais concretamente à da República Socialista Soviética da Moldávia. Contudo, esse organismo era inócuo, limitando-se a fazer parte da Federação de Futebol da União Soviética.

A primeira tarefa da recém-formada FMF era organizar um campeonato nacional independente, juntar-se à comunidade do futebol internacional, estabelecer uma selecção nacional e criar as condições base necessárias para o seu sucesso.

Embora os seus clubes se tenham mantido nas Ligas soviéticas durante a temporada de 1990/91, a República da Moldávia afirmou definitivamente a sua independência desportiva com a estreia da selecção nacional, a 2 de Julho de 1991, num encontro amigável frente à Geórgia, que terminou com uma derrota por 4-2. Um ano mais tarde, a selecção moldava mostrou melhorias, ao empatar 1-1 com a Lituânia. Contudo, só com a entrada da FMF para a UEFA, em 1993, e para a FIFA, um ano mais tarde, o futebol moldavo teve oportunidade de se desenvolver verdadeiramente.

A FMF havia já, então, concretizado um dos seus objectivos, com o lançamento da primeira divisão da Liga moldava (Divizia Naţională), em Março de 1992; a prova, integrada por 12 equipas, teve desde logo a companhia da Taça da República da Moldávia, que no seu primeiro ano contou com a participação de 32 clubes. A afiliação à UEFA e à FIFA depressa abriu novos horizontes a nível de clubes e de selecção nacional.

O FC Zimbru Chişinău tornou-se na primeira formação moldava a participar na UEFA Champions League, disputando a primeira pré-eliminatória em Agosto de 1993. Seguiu-se a vez da selecção nacional se estrear em jogos competitivos, na fase de qualificação para o EURO '96. E foi uma estreia perfeita, com um triunfo por 1-0 na Geórgia. Posteriormente, partidas frente a selecções poderosas como Alemanha, Itália e Inglaterra provaram ser preciosas para o desenvolvimento da selecção nacional. Em Abril de 2008, a República da Moldávia subiu até ao 37º lugar do ranking da FIFA.

O futebol juvenil do país também registou um rápido desenvolvimento, em resultado dos esforços efectuados pela FMF no sentido de fazer avançar a qualidade competitiva dos jovens atletas do país. O empenho da FMF seria mais tarde recompensado com a qualificação da equipa nacional de Sub-17 para o Campeonato da Europa da categoria, na Dinamarca, em 2002. A selecção de Sub-21, por seu lado, derrotou já adversários do calibre da Alemanha, Israel ou Noruega, e alcançou empates frente a selecções como Inglaterra, Roménia e Holanda. Iniciativas como o programa Gugutsa, destinado a crianças com idades compreendidas entre os cinco e os nove anos, a introdução da Taça da República da Moldávia para equipas nacionais de Sub-16 e mais fundos de investimento, causaram um grande impacto no futebol do país.

Os progressos dentro das quatro linhas foram também acompanhados de avanços fora dos relvados. Com o apoio da UEFA e da FIFA, surgiram vários projectos delineados para melhorar as infra-estruturas. Uma nova sede para a FMF, na capital do país, Chisinau,  um moderno campo de futebol para ser utilizado pelas equipas nacionais e novos relvados sintéticos foram as obras que surgiram na fase de desenvolvimento do futebol no país. Os esforços conjuntos do programa HatTrick, da UEFA, e do projecto FMF All Togheter resultaram ainda na construção de mais de 340 mini-campos artificiais.

Os clubes moldavos seguiram o exemplo da sua federação na modernização das infra-estruturas desportivas. O FC Sheriff inaugurou, em 2002, o seu novo complexo desportivo, considerado como estando ao nível dos melhores da Europa, e o Zimbru mudou-se para um novo estádio e centro de treinos em 2006. Espera-se que estas iniciativas possibilitem o aparecimento de excelentes jogadores moldavos, que possam seguir as pisadas de nomes como Igor Dobrovolsky. Campeão olímpico em 1988 e um dos jogadores mais categorizados da antiga União Soviética na década de 90, Dobrovolsky é, sem dúvida, uma valiosa referência para qualquer jovem que queira fazer carreira no mundo do futebol.

Mais recentemente, o Sheriff participou em três fases de grupos da UEFA Europa League e conseguiu vencer equipas como FC Dynamo Kyiv, FC Twente e Tromsø IL. Em Novembro de 2014, a FMF – com o apoio da UEFA – inaugurou um pavilhão de futsal em Ciorescu, local que recebeu a ronda preliminar dos jogos do UEFA Futsal EURO 2016.

http://pt.uefa.com/member-associations/association=mda/news/newsid=946580.html#a+crescer+desde+independencia

Passar ao topo  

Presidente

 

Pavel Cebanu

Pavel Cebanu

Nacionalidade: Moldava
Data de nascimento: 28 Março 1955
Presidente da federação desde: 1997

• Nascido em Reni, na actual Ucrânia, Pavel Cebanu passou toda a sua carreira no FC Nistru Chişinău (agora denominado FC Zimbru Chişinău), como médio e capitão; de 1972 a 1986 marcou 45 golos em 341 jogos do campeonato e foi eleito Jogador de Ouro da Moldávia, como parte das celebrações do Jubileu da UEFA, em 2002.

• Depois de se ter formado como treinador numa escola de Moscovo, desenvolveu as suas capacidades em clubes moldavos e romenos, antes de ser eleito secretário-geral da Federação Moldava de Futebol (FMF), em Dezembro de 1995; tornou-se presidente do organismo em Fevereiro de 1997. Em Janeiro de 2016 Cebanu foi reeleito para um sétimo mandato.

• Durante a presidência de Cebanu, as infra-estruturas futebolísticas foram revitalizadas, enquanto o padrão de qualidade da selecção e dos clubes tem vindo a aumentar. "Estou certo que a Moldávia está a mover-se na direcção certa", disse Cebanu. "Estamos a implementar projectos importantes e a melhorar as infra-estruturas, por isso estamos cheios de esperança e podemos olhar para o futuro com optimismo".

Secretário-Geral

 

Nicolai Cebotari

Nicolai Cebotari

Nacionalidade: Moldava
Data de nascimento: 21 de Maio de 1958
Secretário-geral da federação desde: 1998

• Natural de Chisinau, Cebotari formou-se na academia do FC Nistru Otaci, onde passou 11 épocas no clube como guarda-redes. Foi jogador do ano do Nistru em 1986 e 1990. Em 1981, formou-se em Educação Física na Universidade de Pedagogia de Chisinau.

• Mestre de Desporto da URSS (grau para atletas profissionais), Cebotari também representou o FC SKA Kyiv, FC Zaria Balti e o FC Bukovyna Chernivtsi. Após pendurar as chuteiras, treinou vários clubes moldavos, recebendo o título de Treinador Honorário da Moldávia.

• Em Março de 1998 foi eleito secretário-geral da Federação Moldava de Futebol (FMF), após o que foi reeleito quatro vezes. Cebotari integra desde 2007 o Comité de Imprensa da UEFA.

Dados da Federação

  • Fundação: 1990
  • Afiliação à UEFA: 1993
  • Afiliação à FIFA: 1994
  • Morada: 39, Tricolorului Street 2012 CHISINAU
  • Telefone: +373 22 210 413
  • Fax: +373 22 210 432

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
32LiechtensteinLiechtenstein0/111.000
33HungriaHungria0/49.500
34Rep. MoldavaRep. Moldava0/49.500
35IslândiaIslândia0/48.375
36FinlândiaFinlândia0/47.650
Última actualização: 07/12/2016 08:39 CET

Palmarés das Selecções Nacionais

Nenhum troféu

Competições domésticas