Formação sobre os perigos do doping

O combate antidoping da UEFA inclui formação que visa transmitir uma mensagem clara aos jovens jogadores sobre os perigos das drogas e as consequências da violação das regras.

A selecção da República da Irlanda de Sub-17 durante a sessão de formação da UEFA contra o doping
A selecção da República da Irlanda de Sub-17 durante a sessão de formação da UEFA contra o doping ©Sportsfile

"Só os loucos tomam drogas" – eis a mensagem clara dada pela UEFA aos jovens futebolistas sobre os perigos e consequências do doping.

Todos os anos, o órgão que tutela o futebol europeu leva a efeito sessões de formação para todas as selecções masculinas e femininas que disputam as respectivas fases finais, bem como na "final four" da UEFA Youth League – com os jovens a receberem uma mensagem inequívoca: "O doping poder acabar com a vossa carreira, mesmo antes dela chegar a começar."

Recebem informações claras sobre cada faceta do problema; o que devem e não devem fazer, quais as penalizações em que incorrem se forem julgados culpados de violar as regras anti-doping. O aviso tem por objectivo criar um efeito disuasor.

"Os jogadores têm de perceber que o uso doping é fazer batota e que coloca em perigo a sua saúde de quem o utiliza," disse o líder do departamento médico e de anti-doping da UEFA, Marc Vouillamoz. "É importante que uma mensagem eficaz contra o anti-doping seja passada aos jogadores, dirigentes e médicos das equipas, de modo a proteger o nosso desporto."

Os jovens jogadores são vistos como especialmente vulneráveis quanto ao uso de drogas recreativas. A UEFA diz-lhe que todas essas drogas – incluindo canábis, cocaína e "ecstasy" – são proibidas. Mais, estas drogas têm períodos de retenção longos no organismo e um teste positivo acarretará uma punição.

Vouillamoz acrescenta: "As federações nacionais e os clubes têm também um papel fundamental na prevenção do doping, ao levarem a sério o tema e ao organizarem regularmente sessões de formação junto de equipas e jogadores, utilizando o material cedido pela UEFA, ou com o apoio da sua NADO (Agência Nacional Anti-Dopagem), se necessário." Os médicos das federações da UEFA receberam formação anti-doping como parte do Programa de Formação Médica da UEFA.

As acções de formação terminam sempre com fotografias de figuras do desporto que foram apanhados nas malhas do doping. Os jovens futebolistas ficam sem qualquer dúvida depois de lida a mensagem no ecrâ: "Os escândalos de doping são notícias de primeira página na imprensa - façam questão de não ficar na fotografia…"