We care about football

Proteger o futebol

Proteger o futebol
A UEFA alerta os jovens jogadores sobre os perigos do doping e da viciação de resultados ©Sportsfile

Calendário

"O futebol em primeiro lugar" não é um lema vago para a UEFA. Como organismo responsável pelo futebol europeu, a UEFA tem a responsabilidade desportiva e moral de proteger o futuro do futebol e salvaguardar o bem-estar da modalidade face às influências negativas que podem, entre outras questões, ameaçar a integridade e a estabilidade do futebol, ou a saúde e o bem-estar de todos os que praticam este desporto.

A UEFA trabalha de forma diligente para proteger o futebol e preservar os seus valores essenciais. Nos últimos anos o organismo implementou medidas de "fair play" financeiro que visam trazer disciplina, racionalidade e responsabilidade à gestão financeira dos clubes, evitando os excessos que colocaram em perigo a existência de alguns emblemas.

A viciação de resultados tornou-se numa ameaça para a integridade do futebol e a UEFA está na vanguarda do movimento que luta contra este fenómeno. O organismo está empenhado em manter o espírito do futebol, através de programas de formação para jogadores, árbitros e treinadores, um sofisticado sistema de monitorização, a cooperação com a indústria das apostas e ligações reforçadas com entidades legais e as autoridades nacionais.

A luta contra o doping é uma prioridade fundamental para a UEFA, que realiza controlos anti-doping em todas as suas competições e pune todos aqueles que são considerados culpados de tomar substâncias proibidas. Um caso "positivo" já é demasiado para a UEFA, o organismo europeu desenvolve um programa de formação completo em que, especialmente os jovens jogadores, são alertados que o doping pode motivar o final antecipado de uma carreira.

A UEFA também está empenhada em proteger os jovens jogadores noutras áreas. O organismo tem promovido a formação local de jovens jogadores e criou disposições para a inclusão nas equipas inscritas pelos clubes participantes na UEFA Champions League e na UEFA Europa League de um número mínimo de jogadores formados localmente, que tenham estado pelo menos três anos, entre os 15 e os 21, no seu clube ou noutro emblema da mesma federação nacional. A UEFA também apresentou argumentos a favor da protecção dos menores, levando em linha de conta o destino de muitos jovens que deixaram os seus países de origem para representar um clube em troca de dinheiro, mas que abdicam dos estudos, não tendo depois ao que recorrer se não tiverem sucesso no futebol.

O papel do sector médico no futebol tornou-se fundamental actualmente, com a UEFA a dar um contributo fundamental na área da medicina e da ciência desportiva. As federações partilham informações e boas práticas através do Programa de Formação de Médicos de Futebol da UEFA (FDEP); o Estudo de Lesões da UEFA recolhe dados vitais sobre a forma como as lesões podem ser evitadas, o Programa de Bolsas de Investigação da UEFA concedeu apoios para projectos de pesquisa na área médica; e foram criados requisitos médicos mínimos para todos os jogos organizados pela UEFA, assegurando que jogadores e árbitros têm ao seu dispor um serviço médico de suporte de vida de alta qualidade em toda a Europa.

Os árbitros também são responsáveis por proteger o futebol, aplicando rigorosamente as Leis do Jogo: protegendo a imagem do futebol ao punir os maus comportamentos, protegendo os jogadores de entradas que possam colocar em perigo a sua segurança e agir contra, entre outras coisas, ajuntamentos para pressionar o árbitro ou confrontos em massa. Os juízes também têm o poder de tomar medidas drásticas no caso de comportamentos racista dos espectadores.

Finalmente, todas as semanas, milhares de adeptos deslocam-se para jogos da UEFA de forma a divertirem-se com emotivos espectáculos de futebol. Estes adeptos são a alma do futebol. Têm de poder desfrutar do clima de festa e de celebração do futebol, sem qualquer preocupação com a sua segurança ou bem-estar. A UEFA está empenhada em tornar a positiva a experiência dos adeptos que se deslocam aos estádios para assistir a jogos de futebol. Trabalha em conjunto com as federações nacionais, clubes, autoridades locais e forças policiais de forma a garantir que os jogos por toda a Europa decorrem num ambiente agradável e seguro.

Última actualização: 14-02-17 0.45CET