Árbitras juntam-se ao programa CORE

O programa do Centro de Excelência de Arbitragem (CORE), conduzido pela UEFA, onde os jovens juízes recebem conselhos para as suas carreiras, foi agora alargado a árbitras.

O programa do Centro de Excelência de Arbitragem (CORE), conduzido pela UEFA, onde os jovens juízes recebem conselhos para as suas carreiras, foi agora alargado a árbitras.

Os potenciais árbitros internacionais europeus do futuro estão a adquirir experiência e treino através do programa do Centro de Excelência de Arbitragem (CORE), conduzido pela UEFA, uma iniciativa que agora está a ser alargada à arbitragem feminina.

O programa CORE, conduzido a partir do Centro Desportivo Colovray, junto à sede da UEFA, em Nyon, arrancou em 2010. Até à data, foram quase 100 os árbitros e árbitros assistentes a entrarem para a lista de árbitros internacionais da FIFA, após terem marcado presença nos cursos do CORE.

A UEFA está a receber árbitras no Centro de Excelência de Arbitragem em Nyon num momento importante para o futebol feminino, pois Stamford Bridge, o estádio do Chelsea FC, vai receber em Londres a final da UEFA Women’s Champions League e em Julho vai decorrer na Suécia a fase final do UEFA Women’s EURO 2013. A elite dos árbitros femininos europeus está a preparar estes desafios importantes, enquanto a próxima geração procura seguir os seus passos.

O objectivo é sempre o melhorar o nível da arbitragem nas federações europeias, sempre a pensar no futuro. "O grande sucesso do programa CORE para árbitros é bem evidente", afirmou David Elleray, antigo árbitro internacional inglês e responsável pelo curso CORE. "É natural que agora seja alargado ao sector feminino, e em 2013 vamos organizar cursos para árbitras e árbitras assistentes internacionais para contribuir para a sua evolução, mas também para permitir que nós, na UEFA, possamos identificar talentos para desenvolver e promover no futuro. Vamos tentar repetir a filosofia aplicada no programa CORE masculino".

O curso de Inverno que a UEFA organizou este ano em Roma demonstrou a atenção dada pelo organismo responsável pelo futebol europeu ao reforço do nível da arbitragem feminina. As árbitras de elite foram convidadas a participar pela primeira vez no curso ao lado dos colegas do sexo masculino e aproveitaram para trocar ideias e experiências. O CORE tem recorrido aos árbitros de elite Howard Webb, Nicola Rizzoli, Stéphane Lannoy e Pedro Proença para motivarem o desenvolvimento das equipas de arbitragem, e as árbitras mais experientes da actualidade valorizam a importância do programa CORE para a próxima geração.

"É um passo enorme", explicou Bibiana Steinhaus, a alemã que dirigiu a final do Campeonato do Mundo Feminino de 2011 e o jogo de atribuição da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2012. "O futebol feminino na Europa está a evoluir muito e a arbitragem também tem vindo a melhorar."

"É uma grande oportunidade para as jovens árbitras entrarem na órbita da UEFA, de aprenderem muito, fazerem parte do profissionalismo que está cada vez mais presente e ainda de melhorarem as suas arbitragens", acrescentou. "Espero que as jovens que lá vão estar tenham noção disso."

Dagmar Damková é membro do Comité de Arbitragem da UEFA e uma antiga árbitra internacional que dirigiu a final da UEFA Women’s Champions League de 2011 entre o Olympique Lyonnais e o 1. FFC Turbine Potsdam, disputada em Londres. A checa utiliza agora toda a sua experiência para arbitrar jogos no seu país e em toda a Europa, e está muito satisfeita com esta mudança.

"Considero que é importante, pois é algo que nunca tinha sido feito, não tenho dúvidas que vai ser uma grande ajuda", comentou. "Sabemos o que aconteceu no sector masculino, com o programa CORE para homens, o que é excelente. Esperamos que aconteça o mesmo com as mulheres, que possam aproveitar ao máximo."