Marcos notáveis do CORE

O programa de treinos do Centro de Excelência de Arbitragem da UEFA para jovens árbitros atingiu dois marcos notáveis - o 500º árbitro/assistente participante e o 100º treinador.

©Getty Images

Desde que foi lançado em Setembro de 2010, o Centro de Excelência de Arbitragem da UEFA (CORE), em Nyon, provou o seu imenso valor no treino e preparação de árbitros de ambos os sexos para o futuro. Na sua última sessão, o programa CORE atingiu dois marcos notáveis – a participação do 500º árbitro/assistente e do 100º treinador.

O jovem árbitro espanhol Iñaki Vicandi Garrido é o orgulhoso detentor da etiqueta "Mr 500", enquanto o treinador Rune Pedersen – antigo árbitro na Noruega e que participou em jogos no Campeonato do Mundo 1998 bem como na UEFA Champions League – foi distinguido com o "centenário".

A cada ciclo de dois anos, as federações são convidadas a enviar para o CORE um árbitro e dois assistentes que demonstram o seu potencial para se tornarem árbitros da FIFA. Sob a direcção do antigo árbitro de topo David Elleray, membro do Comité de Arbitragem da UEFA, todos os cursos do CORE incluem dez dias de sessões introdutórias, seguidos, alguns meses mais tarde, de mais oito de um curso de consolidação. Em particular, é concedida aos árbitros a oportunidade de apitar jogos na Suíça e França, amealhando uma experiência crucial.

Cada curso do CORE envolve oito trios de arbitragem que trabalham de perto com quatro treinadores de árbitros, dois treinadores de árbitros assistentes e quatro de treino de aptidão. O segmento Introdutório foca-se na aprendizagem, enquanto o subsequente curso de Consolidação visa o progresso conseguido e os objectivos atingidos pelos árbitros na sua arbitragem, aptidão e inglês. Os árbitros mantêm contacto regular com os seus treinadores entre os cursos Introdutório e de Consolidação.

"Estamos particularmente contentes por termos atingidos estes marcos", disse Elleray ao UEFA.com. "Significa que chegámos a todos os países dentro da UEFA, uma parte deles três ou quatro vezes, bem como a alguns países fora da UEFA. Chegam-nos diferentes treinadores a cada curso, mas temos um grupo que comparece regularmente; uma parte crucial do programa CORE é o desenvolvimento dos treinadores."

Quase 200 árbitros que participaram no programa CORE tornaram-se árbitros da FIFA. "Através do CORE eles ficam muito melhor preparados", disse Elleray. "A sua evolução é muito mais rápida e os seus primeiros jogos mais bem-sucedidos porque entendem o que é necessário possuir para terem sucesso. Têm um melhor conhecimento dos requisitos para o futebol internacional."

Pedersen é um experiente conselheiro da UEFA para os jovens árbitros. "Temos debates detalhados com os árbitros, vemo-los a treinar e observamos os seus jogos, e ajudamo-los a definir os seus objectivos – depois voltamos em Outubro e avaliamos o progresso que tiveram", explicou. "Os cursos do CORE dão-nos tempo para trabalhar com os árbitros e partilhar com eles todos os desafios que vão ter. Esperamos poder dar-lhes o que aprendemos enquanto árbitros."

"Desenvolver um árbitro, hoje em dia, é muito diferente do passado", acrescentou Pedersen. "Os jovens árbitros estão muito preparados e com vontade de aprender. A filosofia e estrutura do CORE foram adoptadas por muitas federações. Vemos que esses árbitros estão agora mais bem preparados para o cenário internacional."

Iñaki Vicandi Garrido, de 28 anos, veio de Bilbau. Tendo começado a apitar com 13 anos disse: "Enquanto os outros rapazes na escola queriam jogar eu preferia apitar os jogos deles." Foi promovido às categorias nacionais com 18 anos e está agora habilitado para jogos da segunda divisão espanhola.

"É um grande desafio e também nos confere responsabilidade", disse da sua participação no curso do CORE. "Represento, aqui, o meu país, bem como a UEFA. Vou dar o meu melhor – sei que sou um felizardo por estar aqui e, por isso, quero aprender o máximo com o curso."

"Tenho aprendido muito com os treinadores e com o David [Elleray]," acrescentou Vicandi Garrido. "Estou ansioso por apitar na Suíça e tentar aplicar o que aprendi aqui em Espanha e começar a aplicar os ensinamentos do curso CORE, que vão, certamente, ajudar-me a ser um árbitro melhor."

Elleray falou da ligação especial entre os árbitros CORE. "O que temos vindo a descobrir nos mini-torneios ou em outros torneios é que quando os árbitros CORE se reúnem, mesmo não sendo do mesmo curso, sentem-se parte de uma família especial", disse. "Os observadores de árbitros dizem que sabem distinguir quem foi um árbitro principal ou assistente do CORE através da sua preparação profissional." Genuína prova de qualidade - outros marcos vão acontecer no futuro num programa de árbitros da UEFA cada vez mais forte.