Árbitros preparados para novos desafios

Os melhores árbitros da Europa estão em Málaga a participar nos cursos de Inverno da UEFA, estando a ser pedido aos juízes para manterem a atitude profissional e a vontade de melhorar que lhes permitiu atingir este nível.

Referees in training at the winter course in Malaga
Referees in training at the winter course in Malaga ©Sportsfile

A UEFA reuniu os árbitros em Espanha para os cursos de reciclagem de Inverno e a mensagem-chave passada foi que não podem estagnar e devem manter os padrões de qualidade que tornaram os árbitros europeus tão respeitados no futebol mundial.

Um total de 128 árbitros masculinos e femininos de toda a Europa estão a desfrutar do início da Primavera mediterrânica em Málaga em dois níveis específicos - um curso avançado para árbitros de elite e um curso introdutório para os recém-promovidos a internacionais da FIFA.

As sessões de treino e os testes físicos, incluindo exames visuais e medição de gordura corporal, fazem parte da preenchida agenda desta semana, a par de sessões de formação, debates em grupo e reuniões de 'feedback' lideradas pelos antigos árbitros internacionais que compõem o Comité de Arbitragem da UEFA.

Estão a ser explicadas aos novos árbitros as várias facetas do que significa ser um árbitro da UEFA - o que se espera deles em termos de preparação e de consistência nas tomadas de decisão, transmitindo a imagem correcta como representantes da UEFA em campo, protegendo a imagem do futebol, assim como a necessidade de serem totalmente profissionais e atletas dedicados desde o início das suas carreiras.

"Queremos dizer-lhes o que significa ser um árbitro internacional, dar-lhes instruções e explicar os aspectos que podem ser mais importantes", explicou Pierluigi Collina, responsável pela arbitragem da UEFA.

Os árbitros do curso avançado estão a analisar os últimos meses e a antecipar os desafios futuros, já na Primavera, nas principais competições europeias de clubes e de selecções.

Os árbitros de elite estão perante meses importantes, com muitos deles a prepararem a participação no Campeonato da Europa Feminino da UEFA de 2017, na Holanda, em Junho e Julho.

"Estamos a terminar a pausa de Inverno” recordou Collina. "Queremos verificar a forma dos árbitros e analisar tudo o que aconteceu na primeira metade da época, dando-lhes também indicações para os desafios que vão arbitrar em breve."

O conteúdo do curso é baseado, sobretudo, no que aconteceu na primeira parte da época de 2016/17. "Por vezes há incidentes que se tornam uma tendência, por isso queremos analisá-los com muito cuidado", explicou Collina. "Há decisões que queremos destacar aos outros árbitros, sejam elas acertadas ou erradas."

"O objectivo não é analisar os próprios erros, mas procurar soluções, de forma a garantir que os mesmos erros não sejam repetidos no futuro."

Os elogios habituais aos árbitros europeus centraram-se desta vez nas excelentes exibições realizadas no UEFA EURO 2016 no Verão passado. "Mas isso é passado", sublinhou Collina, numa momento em que a família da arbitragem da UEFA se esforça para colocar a fasquia ainda mais elevada.

"Não podemos continuar a olhar para os sucessos que tivemos no passado, precisamos olhar em frente. Já estamos a meio de uma nova época e ninguém se vai lembrar de tudo o que fizemos de positivo. A expectativa é que tenhamos boas decisões no futuro."