Steinhaus a postos para a final de Cardiff

Bibiana Steinhaus, árbitra da final de quinta-feira da UEFA Women's Champions League, garante que, apesar de já ter dirigido outros grandes jogos, uma nomeação destas constitui sempre uma "enorme honra".

A árbitra alemã Bibiana Steinhaus dirige esta quinta-feira, em Cardiff, a final da UEFA Women's Champions League
A árbitra alemã Bibiana Steinhaus dirige esta quinta-feira, em Cardiff, a final da UEFA Women's Champions League ©AFP

A árbitra Bibiana Steinhaus sabe perfeitamente como se vai sentir quando subir ao relvado juntamente com as duas equipas para dirigir a final de quinta-feira da UEFA Women's Champions League, entre Lyon e Paris Saint-German, no Cardiff City Stadium.

"Tenho a certeza que vou ficar com pele de galinha," admitiu a agente policial de 38 anos, natural de Bad Lauterberg, na região da Baixa Saxónia, norte da Alemanha.

"Vai ser o momento do qual mais vou desfrutar, sentir que estou mesmo ali, que fui a escolhida para arbitrar este jogo juntamente com as minhas colegas e sentir que confiam em mim o suficientemente para me colocarem neste palco", disse.

Apesar de ter já dirigido outros grandes jogos, como a final do Campeonato do Mundo Feminino da FIFA de 2011, ou a final do torneio de futebol feminino dos Jogos Olímpicos de 2012, Steinhaus garante que o entusiasmo é sempre o mesmo. "É uma enorme honra para mim ter sido nomeada para arbitrar este jogo em Cardiff, a final de uma competição fantástica como a Women's Champions League."

Steinhaus olha para o embate 100 por cento francês da final desta quinta-feira, no País de Gales, como a oportunidade perfeita para mostrar o quanto o futebol e a arbitragem no feminino têm crescido nos últimos anos. "A velocidade e a dinâmica do futebol feminino desenvolveu-se muito," explica. "As futebolistas são agora melhores atletas e isso obrigou-nos a nós, árbitras, a acompanharmos esse crescimento. Nesta final e no EURO feminino que se aproxima vai ser possível confirmar esses progressos. Tudo isto acontece graças ao apoio que a UEFA tem dado ao futebol feminino e à arbitragem feminina."

Steinhaus recebeu também outra boa notícia recentemente: na próxima temporada tornar-se-á na primeira árbitra a dirigir jogos da Bundesliga masculina, na Alemanha. Uma merecida recompensa para as suas qualidades e um reconhecimento do seu trabalho. "Tornei-me árbitra porque não era lá grande jogadora," recorda. "E agora a arbitragem está-me no sangue."

Steinhaus sente que o respeito é crucial no futebol, entre futebolistas, treinadores, árbitros e todas as outras partes nele envolvidas. "Temos de olhar para o Respeito como um valor verdadeiro e não apenas uma palavra escrita nas insígnias que estão nas nossas camisolas. Todos trabalhamos para o mesmo produto, o futebol, e só em conjunto podemos vender esse produto a todo o mundo."

A equipa de arbitragem em Cardiff vai apresentar-se concentrada e unida. "Pergunto sempre a mim mesma: 'Fiz o melhor que podia ter feito? Preparei-me bem? Fiz tudo para tomar as decisões correctas?' Se puder responder sim a tudo isto, então sentir-me-ei confortável com o meu desempenho."