We care about football

Donativos

Donativos
Michel Platini (UEFA), Anne Tiivas (NSPCC) e o Príncipe Alberto II do Mónaco, na cerimónia do Prémio de Solidariedade Mónaco 2014 ©UEFA.com

Calendário

A UEFA premiou uma organização merecedora de tal distinção com um cheque anual de solidariedade no valor de um milhão de euros, entregue no Mónaco, no evento que assinala o pontapé de saída de mais uma temporada de competições europeias de clubes.
O Prémio de Solidariedade Mónaco foi lançado pela primeira vez em 1998. A britânica Sociedade Nacional para a Prevenção de Cruldade contra as Crianças (NSPCC) recebeu o Prémio de Solidariedade Mónaco em 2014.

Vencedores anteriores
2013 - Fundação Johan Cruyff

A Fundação Johan Cruyff, que homenageia a grande lenda futebolística holandesa, ajuda a fomentar o bem-estar físico e mental de crianças e jovens.

A fundação cria lugares seguros para as crianças praticarem desporto e organiza eventos para estimular o jogo e a educação – em particular com a construção de Campos Cruyff Courts, que são pequenos recintos de relva artificial, por todo o Mundo.

2012 – Fundação Stefano Borgonovo
A Fundação Stefano Borgonovo procura apoiar a investigação relacionada com a esclerose lateral amiotrófica.

Stefano Borgonovo, antigo ponta-de-lança do AC Milan e da ACF Fiorentina no final da década de 1980 e início da década de 1990, viu ser-lhe diagnosticada esclerose lateral amiotrófica aos 42 anos de idade. Trata-se de uma grave patologia neurológica, que causa a perda progressiva de todas as funções musculares. A Fundação Stefano Borgonovo foi criada pelo antigo internacional italiano, pela sua esposa, Chantal, e pela sua filha mais velha, Alessandra, em 2008, com o objectivo de ajudar as cerca de 350 mil pessoas que, em todo o Mundo, sofrem de esclerose lateral amiotrófica. Stefano Borgonovo faleceu em Junho de 2013.

2011 – streetfootballworld
A streetfootballworld usa a paixão pelo futebol para juntar indivíduos e empresas na ajuda aos jovens, para estes poderem construir para sim mesmos um melhor amanhã.

A rede da streetfootballworld liga mais de 80 organizações que aproveitam o poder social do futebol para abordar problemas da sociedade como o crime, a integração social, os sem-abrigo, a falta de emprego ou a prevenção de doenças.

2010 – Gabinete do Desporto das Nações Unidas para o Desenvolvimento e a Paz (UNOSDP)
O UNOSDP aplica fundos em cinco projectos da ONU ou financiados pela ONU, focados no poder do desporto e na actividade física como instrumentos para melhorar o dia-a-dia das pessoas com necessidades. As organizações para as quais reverterão os fundos irão trabalhar com vista a atingir os objectivos da ONU, em particular os oito Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.

O Gabinete lidera e coordena os esforços das Nações Unidas na promoção e apoio ao desporto como um motor para mudanças sociais positivas. Baseia-se na premissa de que o desporto é um direito fundamental de todas as pessoas, e de que não deveria ser considerado um fim em si mesmo, mas sim um meio de integração social.

2009 - Associação Nacional de Adeptos Deficientes (NADS)
A NADS representa mais de 30 mil adeptos de futebol com deficiências no Reino Unido e é a responsável pelo projecto CAFÉ (Centro para o Acesso ao Futebol na Europa), que visa elevar a consciencialização das pessoas em toda a Europa para esta situação. A NADS trabalhou lado a lado com a UEFA nas cidades-sede do UEFA EURO 2008 e nas últimas finais da UEFA Champions League no aconselhamento para a melhoria de instalações e serviços. Entre os significativos melhoramentos verificados encontram-se:

• espaço adicional para espectadores em cadeiras de rodas e para adeptos com deficiências motoras
• comentários áudio para adeptos com deficiências de visão
• casas-de-banho e zonas de descanso para deficientes
• funcionários de ajuda a adeptos deficientes em cada jogo
• transportes e zonas de acesso a táxis para deficientes

2008 - Associação Europeia Contra a Leucodistrofia (ELA)
Fundada em 1992, a ELA é uma associação que ajuda famílias afectadas pela leucodistrofia, uma doença genética grave que destrói a mielina, substância que protege o sistema nervoso central (cérebro e espinal medula). Já em actividade em França, Itália, Espanha, Bélgica, Luxemburgo e Suíça, a associação chegará em breve à Alemanha e ao Reino Unido.

O cheque de um milhão de francos recebido por Zinédine Zidane, embaixador da ELA, permitiu lançar uma vasta rede de programas de desenvolvimento, destinados à união de famílias de diferentes países, divulgação de informação sobre leucodistrofias e promoção de diálogo entre pacientes e profissionais de saúde.

• 250 famílias receberam equipamentos de tecnologia avançada (computadores portáteis com câmaras e ligação à Internet), bem como formação que lhes permitiu ter acesso às últimas notícias sobre leucodistrofias.
• Em 2009 foi lançado um novo "site" multilíngue na Internet.

2007 - Associação Recreativa e Desportiva Internacional de Paralisia Cerebral (CPISRA)
A CPISRA foi fundada em 1978, com o objectivo de apoiar atletas com paralisia cerebral e problemas neurológicos relacionados, de forma a oferecer-lhes a oportunidade de praticar desporto. O patrocínio da UEFA ajudou a CPISRA a desenvolver equipas de futebol de sete em países da Europa que antes não praticavam a modalidade, para além de melhorar programas de treino, formação e promoção.

• A CPISRA produziu um DVD de promoção do futebol de sete em toda a Europa.
• Em 2009, organizou um campeonato internacional em Arnhem, na Holanda.

2006 - Associação Internacional de Desporto para Invisuais (IBSA)
A IBSA oferece a atletas com deficiências visuais a possibilidade de praticarem um vasto leque de desportos, incluindo dois tipos de futsal, para atletas totalmente cegos (B1) e para atletas parcialmente invisuais (B2/B3). A primeira categoria é uma das mais populares entre as modalidades dos Jogos Paralímpicos.

• Com o apoio da UEFA, a ISBA promoveu em todo o continente europeu seminários englobados no Projecto para o Desenvolvimento do Futsal na Europa, de forma a oferecer formação a mais de 300 treinadores e árbitros sobre o futsal para invisuais. Recorrendo à abordagem "treinar os treinadores", os delegados receberam por parte de técnicos acreditados pela IBSA e por parte de árbitros formação básica sobre como lidar com jogadores cegos, bem como sobre tácticas e  regras do jogo.

• A IBSA produziu igualmente um DVD instrutivo, distribuído em todos os países europeus durante os Jogos Paralímpicos de Pequim 2008.