Foco em iniciativas de sustentabilidade

Desde os estádios aos adeptos, de fornecedores a parceiros, não esquecendo funcionários da UEFA, todos os intervenientes são encorajados a contribuir para o desenvolvimento sustentado.

©UEFA.com

A UEFA está empenhada em colocar em prática medidas concretas de desenvolvimento sustentado.

Desde 2007 que o organismo tem trabalhado com a Climate Friendly para medir e compensar as emissões de CO2 dos voos dos seus funcionários, um total de 20.000 toneladas em média por ano (o equivalente a 2,85 mil milhões de bolas de futebol), com um custo de cerca de 200.000 euros por ano.

Por outro lado, os funcionários são amplamente encorajados a adoptarem hábitos responsáveis e seguir dicas e truques (em inglês e francês) de sustentabilidade que também poupam tempo, reduzem custos e melhoram o seu bem-estar.

Olhando um pouco para o futuro, é ambição da UEFA usar o UEFA EURO 2016 para acumular experiência e conhecimento relativamente à gestão dos impactos sociais, económicos e ambientais, para que, em última análise, possa reproduzir boas práticas em outros eventos de futebol pan-europeus.

O objectivo é limitar o impacto do torneio no ambiente e obter a certificação ISO 2012-1, tal como outras competições desportivas, como os Jogos Olímpicos de Londres de 2012 e o Open de França.

Um amplo leque de acções concretas (em inglês) está a ser adoptado para o torneio, no campo dos transportes públicos e mobilidade, gestão de desperdícios, optimização de energia, acessibilidade e luta contra a descriminação.

Por exemplo, para além de encorajar os espectadores do UEFA EURO 2016 a usarem transportes públicos, foi também desenvolvido uma calculadora ecológica, ou eco-calculator, para os adeptos. Esta ferramenta on-line mede a emissão de gases de efeito de estufa que cada viagem gera – o número equivalente de bolas de futebol cheias de dióxido de carbono. Os adeptos podem então realizar escolhas mais adequadas para viajarem para o torneio e as melhores opções para compensarem as suas emissões.

Os fundos angariados através do esquema de compensação de voos da UEFA serão investidos no parque de energia eólica Prony and Kafeate, com o objectivo de produzir energia renovável na Nova Caledónia, um território francês no Oceano pacífico.

Para o UEFA EURO 2016, e mais além, a UEFA confia na colaboração próxima com todas as partes interessadas – a família do futebol , patrocinadores, parceiros, autoridades e media – e na capacidade do futebol para inspirar um comportamento construtivo, garantindo um legado positivo do UEFA EURO 2016.