EURO 2016: um evento divertido, amigável e responsável

A "responsabilidade cívica a todos os níveis organizacionais" da UEFA e da EURO 2016 SAS é destacada no Relatório Pós-Evento de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do EURO 2016.

Relatório Pós-Evento de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do EURO 2016.
Relatório Pós-Evento de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do EURO 2016. ©UEFA.com

O Relatório Pós-Evento de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do UEFA EURO 2016 (em inglês) sublinha os esforços realizados para garantir que o UEFA EURO 2016 teve um impacto positivo em França.

A estratégia desenvolvida pela UEFA e pelo EURO 2016 SAS tinha prioridades claras: acesso total para adeptos portadores de deficiência, torneio livre de tabaco, monitorização anti-discriminação e consideração pelo meio-ambiente.

A EURO 2016 SAS subscreveu a iniciativa UN Global Compact, e essa premissa de sustentabilidade abrangeu transportes e mobilidade, gestão de resíduos, optimização de energia e consumo de água, e fornecimento sustentável.

Como Jacques Lambert, presidente da EURO 2016 SAS, disse antes do arranque do torneio: "Todos os organizadores de todas as vertentes do evento têm essa responsabilidade [económica, social e ambiental], seja à escala mundial, ou simplesmente à escala local. De certa forma, é precisamente isso que desenvolvimento sustentável significa, levando sempre em conta a responsabilidade cívica de todos os níveis organizacionais."

Como resultado, as operações do UEFA EURO 2016 foram certificadas como um sistema de gestão de evento sustentável (ISO 20121).

A implementação das medidas constituiu uma dura missão dado os números recorde: 24 selecções, 51 jogos, dez cidades anfitriãs e 2,5 milhões de espectadores nos estádios.

Eis alguns dos principais indicadores de desempenho:

  • Acesso para todos: disponibilizados 17 mil bilhetes para adeptos portadores de deficiência
  • EURO sem tabaco: proibido fumar nos dez estádios
  • Diversidade: apenas oito incidentes de racismo/discriminação reportados, dois punidos
  • Apoio aos adeptos: 19 embaixadas para adeptos
  • Transportes públicos: 300 mil lugares adicionais em direcção aos estádios, compensando o consumo de 35 mil toneladas de CO2
  • Tratamento de detritos: taxa de reciclagem de 38 por cento; dez toneladas de comida doada a ONGs
  • Energia: 30 mil litros de combustível poupados; energias renováveis contratadas em três estádios
  • Fornecimento de bens e serviços: 71 por cento dos itens produzidos na Europa; 2,5 milhões de bilhetes impressos em papel certificado pelo FSJ (Conselho de Gestão Florestal)

Para efeitos de conformidade, foram desenvolvidas múltiplas vistorias durante os eventos ao vivo, como parte da certificação ISO 20121.

A UEFA encontra-se empenhada em dar seguimento a esta experiência do UEFA EURO 2016 no UEFA EURO 2020 e noutros eventos. Para o próximo EURO o desafio será numa escala ainda maior, com o evento a ter lugar em 13 diferentes países anfitriões.

Martin Kallen, CEO da UEFA Events SA, disse: "Já estão a ser realizados trabalhos com vista a conferir aos nossos futuros eventos uma ainda maior sustentabilidade e responsabilidade social. Para que tal seja possível será necessário o esforço de todas as partes que constituem a família do futebol."