Vítimas de minas terrestres entrevistam Sergio Ramos

Como parte da sua parceria com o Comité Internacional da Cruz Vermelha, a UEFA ofereceu às vítimas de minas terrestres no Afeganistão a oportunidade de entrevistarem Sergio Ramos, capitão do Real Madrid.

©UEFA.com

Este ano caberá a Sergio Ramos entregar em nome da UEFA o cheque no valor de 100 mil euros ao Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV). Essa honra cabe-lhe depois de ter sido ele o jogador que mais votos recebeu na eleição para a Equipa do Ano de 2016 dos Utilizadores do UEFA.com.

Num momento tocante, o capitão do Real Madrid aceitou conversar com os jogadores da equipa do CICV em Cabul, falando-lhes da sua filosofia de futebol e partilhando com eles alguns conselhos.

Cabul: Quem era a sua inspiração quando começou a jogar futebol?

Sergio Ramos: Bem, a verdade é que quando comecei a jogar era, sobretudo, fã de jogadores de ataque e de um em particular: o Ronaldo brasileiro, Ronaldo Luís Nazário de Lima. Outro dos meus ídolos era Claudio Caniggia, um avançado argentino de cabelos compridos, de quem gostava bastante. Foi por causa dele que comecei a deixar crescer o meu cabelo!

Cabul: Olá Sergio Ramos, como posso vir a tornar-me num grande jogador?

Sergio: Para alguém se tornar num grande jogador, tem de mostrar grande dedicação e empenho para com o futebol. Tem de ser muito humilde e trabalhar bastante. E, acima de tudo, tem de lutar para concretizar os seus sonhos.

Cabul: Sergio Ramos, quais eram os seus sonhos quando tinha a minha idade?

Sergio: Quando tinha a tua idade sonhava tornar-me futebolista e, como disse antes, graças a muito trabalho e dedicação, consegui concretizar esse sonho.

Clique no leitor vídeo para assistir à conversa na íntegra.